Lições de Gaulês Moderno

By Bellouesus Isarnos

Menghavan 0: Swausé In Tengu

Lesson 0: Os Sons da Língua

Nesta lição preliminar, você aprenderá quais são os sons da língua.

  1. Vogais

O gaulês moderno tem cinco vogais, que podem ser breves ou longas. Estas são as breves. A tabela mostra como são escritas, qual o seu valor fonético e qual a sua pronúncia usando exemplos em português.

Vogal Valor fonético (AFI*) Exemplos de pronúncia
     
a

o

u

e

i

[a]

[o]

[u]

[e]

[i]

pato

pote

puro

pedir

pino

* Alfabeto Fonético Internacional (International Phonetic Alphabet – IPA)

Esta tabela mostra as vogais longas, que são indicadas por diacríticos escritos sobre a vogais; assim á é um a longo. A língua portuguesa não faz distinção gráfica entre vogais breves e longas, sobretudo porque a maioria absoluta das vogais em português são breves. Pode-se dizer que uma vogal longa seria apenas aquela que leva mais tempo na sua pronúncia: a é breve, aa é longa.

Vogal Valor fonético (AFI) Exemplos de pronúncia
á

ó

ú

é

í

[a:]

[o:]

[u:]

[e:]

[i:]

paaato

pooote

puuuro

peeedir

piiino

O gaulês moderno possui cinco ditongos. Ditongo é um grupo de duas vogais escritas e pronunciadas juntamente, tal como mostrado nesta tabela.

Ditongo Valor fonético (AFI) Exemplos de pronúncia
ái

ói

úi

éi

au

[a:j]

[o:j]

[u:j]

[e:j]

[au]

pai

heroico

fui

papéis

mau

  1. Consoantes

O gaulês moderno tem um grande número de consoantes. A tabela abaixo mostra como são escritas, dá a sua descrição fonética e exemplos de pronúncia em português e outras línguas. Não é possível oferecer exemplos para cada som.

Consoante Valor fonético (AFI) Exemplos de pronúncia
p [p] pele
t [t] teste
c [k] quilo
b [b] bola
d [d] dado
g [g] gato
v [v] verde
dh [ð] inglês there
gh [ɣ] espanhol haga; alófono do /g/ quando se encontra entre vogais
f [f] fim
th [θ] inglês thin
ch [x] espanhol jámon
fh [ɸ] sopro suave articulado com ambos os lábios
m [m] maio
w [w] ingles weep
s [s] selo
sh [ʃ] xale
n [n] nariz
r [r] aro
l [l] lado
nh [xn] [x] seguido por [n]
rh [xr] [x] seguido por [r]
lh [xl] [x] seguido por [l]
ng [ŋ] inglês sing
  1. Variação na quantidade da vogal

A quantidade (breve ou longa) de uma vogal pode mudar. Numa palavra de duas sílabas ou mais, a ênfase ficará na antepenúltima sílaba. Frequentemente, isso tornará a vogal dessa sílaba longa. Veja os exemplos abaixo.

men: pensar > a vogal /e/ é breve

ménu: pensamento > ênfase na primeira vogal, /e/, que se torna longa

menúé: pensamentos > a ênfase muda para a antepenúltima vogal, /u/, que se torna longa

 

Menghavan 1: Bréthré – Aman Dhathach – Gweranúé Donach

Lição 1: Os Verbos – O Tempo Presente – Pronomes Pessoais

Na primeira lição, você aprenderá como conjugar o verbo no presente e como usá-lo com um pronome pessoal.

  1. Os verbos no presente

Cada verbo tem uma forma básica ou raiz verbal, conhecida como “substantivo verbal”. Possui a mesma função que o infinitivo em português.

Os substantives verbais podem terminar em consoante, em -i, -a, -e, e, num único caso, em -ó, jamais em -u. Por exemplo:

ápis: ver/enxergar

men: pensar

gwel: querer

gar: chamar

carni: construir

argha: brilhar

delghe: segurar

ávó: fazer

berwi: ferver

gní: conhecer/saber

Para formar o presente desses verbos, acrescenta-se -a ao substantivo verbal do modo que se explica a seguir.

Observe que as vogais em gaulês moderno podem longas (indicadas pelo acento agudo) ou breves. A quantidade (longa ou breve) da vogal muda conforme a ênfase. A ênfase sempre cai na antepenúltima sílaba. Quando as palavras se tornam mais longas, a ênfase se desloca na mesma medida.

Os verbos em consoante:

ápis > apísa

men > ména

gwel > gwéla

gar > gára

Os verbos em -i:

carni > carna

Os verbos em -a:

argha > argha – nada muda

Os verbos em -e:

delghe > delgha

os verbos em -ó trocam o -ó por -a

ávó > áva

Os verbos em -wi retêm o -i final.

berwi > berwía

Os verbos em -i em que o -i seja a única vogal retêm o -i.

gní > gnía

Exercícios

Conjugue os seguintes verbos no presente:

prin (comprar)

ber (carregar)

gal (poder, ser capaz de fazer algo)

brís (quebrar)

ívi (beber)

cára (amar)

cinge (guerrear)

ávó (fazer)

camwi (dobrar-se, curvar-se)

lí (deitar-se)

  1. Pronomes pessoais

Quando usados como sujeito, os pronomes pessoais são os seguintes:

mi: eu

ti: você

é: ele

í: ela

í: ele/ela (neutro)

ni: nós

sú: vocês

sí: eles/elas

Não há diferença entre a forma masculina e a feminina no pronome da terceira pessoa do plural.

Em gaulês moderno, o pronome pessoal segue o verbo que acompanha:

apísa mi: eu vejo

ména ti: você pensa

gwéla é: ele chama

gára í: ela chama

carna ni: nós construímos

argha sú: vocês brilham

delghe sí: eles/as seguram

áva í: ele/a faz

berwía í: ele/a (neutro) ferve

gnía í: ele/a (neutro) sabe

Exercícios

Forme as seguintes frases:

Eu compro

Você carrega

Ele pode

Ela quebra

Nós bebemos

Vocês amam

Eles/as (neutro) guerreiam

Ele/a (neutro) faz

Ele/a (neutro) se curva

Ele/a (neutro) se deita

 

Menghavan 2: Gweranúé Donach Co hUrchatha

Lição 2: Os Pronomes Pessoais como Objeto

Na segunda lição, você aprenderá como usar um pronome quando ele for o objeto de uma frase com um verbo.

  1. Pronomes pessoais como objeto de um verbo ativo (pronomes pessoais do caso oblíquo)

O objeto de uma sentença é a coisa a que algo está sendo feito. É o recipiente da ação realizada pelo verbo.

Quando os pronomes pessoais forem o objeto de uma sentença, poderão tomar duas formas diferentes. A primeira forma é idêntica à forma que tomam quando sujeitos de uma sentença, com apenas uma exceção. O sujeito de uma sentença é a extremidade ativa da ação realizada pelo verbo.

Pronomes pessoais como sujeito

(caso reto)

Pronomes pessoais como objeto

(caso oblíquo, átonos)

mi: eu

ti: tu/você

é: ele

í: ela

í: ele/ela (neutro)

ni: nós

sú: vós/vocês

sí: eles/elas

mi: me

ti: te/o, a, lhe, se

é: o, lhe, se

í: a, lhe, se

í: o, a, lhe, se (neutro)

ni: nos

sú: vos/os, as, lhes, se

ís: os, as, lhes, se

Somente a terceira pessoa do plural apresenta uma forma diferente: ís em lugar de .

Esses pronomes são usados como a extremidade passiva de um verbo ativo. Um verbo ativo é um verbo que desempenha a principal ação da frase. Ele terá um sujeito que realizará a ação. Estará numa forma que indique o tempo e o modo que a ação é realizada.

V = verbo

S = sujeito

O = objeto

Em gaulês moderno, a frase apresenta a ordem padrão Verbo-Sujeito-Objeto. Esse é um aspecto característico das línguas célticas e incomum em português.

Podemos construir exemplos usando os verbos introduzidos na Lição 1:

apísa mi: vejo/eu vejo > apísa mi ti: vejo-te/eu vejo você

Na frase “apísa mi ti”, o verbo “apísa” vem primeiro, o sujeito “mi” vem em segundo e o objeto “ti” vem em terceiro. Indica-se isso do seguinte modo:

apísa mi ti

V      S   O

Podemos perceber que o verbo “apísa” é um verbo ativo porque está no tempo presente: possui a desinência -a do tempo presente.

Aqui estão mais exemplos:

gára í mi: ela me chama

delgha é ni: ele nos segura

gnía sí sú: eles/elas vos conhecem/conhecem vocês

Quando o pronome objeto começar com uma vogal, tal como é, í e ís, e seguir um pronome sujeito, esse pronome objeto receberá um uma letra ch- extra no começo. Essa letra ch é pronunciada como o -ch na palavra escocesa “loch”.

apísa mi chí: vejo-a/eu vejo ela

ména mi chí: penso-o (neutro) (penso nisso)

gwéla í ché: ela o quer/ela quer ele

áva é chí: ele o (neutro) faz/ele faz isso

gnía sú chís: voces conhecem eles/elas

gára í chís: ela os/as chama

Exercício 1

Forme as frases seguintes com os verbos dados acima e abaixo:

prin (comprar)

ber (carregar)

brís (comprar)

ívi (beber)

cára (amar)

ávó (fazer)

camwi (incliner, dobrar)

lí (deitar-se)

Compro-o (neutro):

Você o carrega:

Ele o (neutro) quebra:

Ela o (neutro )bebe:

Nós os amamos:

Vocês nos dobram:

Eles/elas chama vocês:

Ela me vê:

Ele a conhece:

Ela te quer:

Você pode verificar as suas respostas ao fim desta lição.

  1. Pronomes pessoais como objeto de um substantivo verbal

O substantivo verbal é a forma radical básica de um verbo, correspondendo ao infinitivo em português.

Uma analogia adequada seria pensar nos substantives verbais do gaulês moderno como as formas em –ing dos verbos em inglês.

Por exemplo, can: cantar > can: “singing” (o cantar, o ato de cantar)

cána mi chí: eu o canto

Quando os pronomes pessoais forem o objeto de um substantivo verbal, tomarão uma forma diferente:

mi > imí

ti > ithí

é > iché

í > ichí

ni > iní

sú > isú

ís > ichís

Quando um substantivo verbal for usado numa frase com um verbo ativo, ele virá imediatamente depois do sujeito:

gwéla mi can: quero cantar

Nessa frase, o substantivo verbal é o objeto do verbo ativo:

gwéla mi can

V        S    O

Se pensarmos no substantivo verbal com a forma em –ing do verbo em inglês, poderemos traduzir literalmente essa frase como:

want I singing (> “I want singing”)

V      S   O

quero eu o cantar (> “quero cantar”)

V        S    O

Se empregarmos o pronome pessoal como objeto do substantivo verbal, usaremos a forma especial mostrada acima:

gwéla mi can ichí: Eu quero cantá-lo.

Nessa frase, as duas palavras “can ichí” tornam-se o novo objeto da frase.

gwéla mi | can ichí

V       S    | [O       ]

A frase acima pode ser literalmente traduzida como “quero o cantar dele/disso”.

A partícula i-  a que se ligam os pronomes indica a posse de alguma coisa:

imí: de-mim

ithí: de-ti/de-você

iché: dele

ichí: dela

ichí: dele/dela/disso

iní: de-nós

isú: de-vós/de-vocês

ichís: deles/delas

A frase “can ichí” traduz-se como “cantar disso”. Se acrescentarmos um artigo definido (o,a) imaginário à versão em português, ela fará sentido:

can ichí: [o] cantar disso > gwéla mi can ichí: quero [o] cantar disso/ quero cantar isso/quero cantá-lo

Exercício 2

Forme as seguintes frases usando os verbos dados acima:

Quero vê-lo/a (neutro):

Você quer segurá-la:

Ele quer conhecer você:

Ela quer amá-lo:

Ele/ela (neutro) pode quebrar-me:

Podemos comprá-los:

Vocês podem carregar-nos:

Eles/elas podem conhecer vocês:

Vocês podem fazê-lo/a (neutro):

Você pode verificar as suas respostas ao fim desta lição.

Respostas

Exercício 1

Compro-o (neutro): prína mi chí

Você o carrega: béra ti ché

Ele o (neutro) quebra: brisa é chí

Ela o (neutro ) bebe: íva í chí

Nós os amamos: cára ni chís

Vocês nos dobram: camwía sú ni

Eles/elas chamam vocês: gára sí sú

Ela me vê: apísa í mi

Ele a conhece: gnía é chí

Ela te quer: gwéla í ti

Exercício 2

Quero vê-lo/a (neutro): gwéla mi ápis ichí

Você quer segurá-la: gwéla ti delghe ichí

Ele quer conhecer você: gwéla é gní ithí

Ela quer amá-lo: gwéla í cára iché

Ele/ela (neutro) pode quebrar-me: gála í brís imí

Podemos comprá-los: gála ni prin ichís

Vocês podem carregar-nos: gála sú ber iní

Eles/elas podem conhecer vocês: gála sí gní isú

Vocês podem fazê-lo/a (neutro): gála sú ávó ichí

 

Menghavan 3: Anúé – Téith – In hAmosanal

Lição 3: Substantivos – Posse – O Artigo

Na terceira lição, você aprenderá o que é um substantivo, como se indica a sua posse e o que é um artigo.

  1. Substantivo

“Substantivo” é a palavra que designa um ser ou um objeto, ou uma ação, qualidade, estado, sem o auxílio de nenhuma outra. Refere-se a qualquer coisa que possa ter um nome, seja pessoa, lugar, coisa, estado ou qualidade. Nas Lições 1 e 2, aprendemos sobre sujeitos e objetos. Os substantives são as coisas que podem ser sujeitos ou objetos de uma sentença. Por exemplo:

gwir: homem

cun: cachorro

ép: cavalo

cánu: canção

ménu: pensamento

coch: perna

duvr: água

pen: cabeça

Em gaulês moderno, não existe o artigo indefinido (um/uns, uma/umas):

gwir: homem/um homem

cun: cachorro/um cachorro

Podemos usar os verbos que aprendemos nas lições anteriores para construir sentenças em que o sujeito e o objeto sejam substantivos em lugar de pronomes:

gára gwir cun: um homem chama um cachorro.

V      S      O

apísa cun ép: um cachorro vê um cavalo.

cána gwir cánu: um homem canta uma canção.

ména gwir ménu: um homem pensa um pensamento.

Exercício 1

Forma as frases seguintes  com os verbos dados nas lições anteriores e os substantivos dados acima e abaixo:

ben: mulher

gnath: criança

mapath: menino

geneth: menina

curu: cerveja

cuchul: chapéu

Um homem compra uma cerveja:

Uma mulher segura uma criança:

Um menino quer um chapéu:

Uma menina canta uma canção:

Um cavalo bebe água:

Um cachorro quebra uma perna:

Uma criança ama um cavalo:

Um homem vê uma mulher:

Um cavalo carrega um menino:

Uma mulher chama um cachorro:

Você pode verificar as suas respostas ao fim desta lição.

  1. Posse

Na Lição 2, vimos que, quando um pronome era usado como objeto, recebia uma partícula especial, -i. Essa partícula não é usada com nada mais, somente com o pronome. Quando usamos um substantivo, apenas substituímos o pronome e a partícula pelo substantivo:

cána mi cánu: canto uma canção.

gwéla mi can ichí: quero cantá-la.

gwéla mi can cánu: quero cantar uma canção.

A frase “can cánu” sinifica literalmente “[o] cantar [de] uma canção”. A palavra portuguesa “de” não é usada.

Essa frase contém dois substantives: 1. o substantivo verbal “can”; 2. o substantivo “cánu”. Nessa frase, o primeiro substantivo, “can”, é possuído pelo segundo substantivo, “canu”. Em português, isso é indicado pela preposição “de”. Em gaulês moderno, isso é indicado pela posição da palavra: a segunda palavra possui a primeira palavra.

O mesmo pode ser feito com qualquer dupla de substantivos:

curu gwir: uma cerveja de um homem

gnath ben: uma criança de uma mulher

ép geneth: uma casa de uma menina

Exercício 2

Usando as palavras aprendidas em todas as lições, forme as seguintes frases:

Uma perna de um cachorro:

Um cachorro de um homem:

Uma cabeça de um cavalo:

Um chapéu de uma mulher:

Um pensamento de uma criança:

Uma canção de uma menina:

Um cavalo de um menino:

Um homem de uma mulher:

Uma criança de um homem:

Um chapéu de uma criança:

  1. O Artigo

Há um só artigo em gaulês moderno: “in”. Este não se modifica por qualquer motivo. Por exemplo:

in gwir: o homem

in ép: o cavalo

in mapath: o menino

in curu: a cerveja

in pen: a cabeça

in duvr: a água

O artigo “in” pode ser usado em casos de posse. Somente pode ser usado com o segundo substantivo, que é o possuidor do primeiro substantivo. O primeiro substantivo nunca pode ter o artigo diante de si. Por exemplo:

cun gwir: um cachorro de um homem

cun in gwir: um cachorro do homem

A frase inglesa “the man’s dog” seria uma boa tradução da frase em gaulês moderno. Esta usa somente um artigo e sempre poderá usar só um artigo. Não é possível dizer “o cachorro do homem”, pois aí haveria dois artigos.

O segundo substantivo possui o primeiro substantivo. O segundo substantivo é o único substantivo que pode ter o artigo.

Exercício 3

Usando todas as palavras aprendidas até agora, construa as seguintes frases:

A cabeça do cavalo:

A perna do cachorro:

A cerveja do homem:

O chapéu do menino:

A água do cavalo:

A canção do menino:

O pensamento do homem:

O cavalo da canção:

O cachorro do menino:

O chapéu do cavalo:

Você pode verificar as suas respostas ao fim desta lição.

                                                                                                          

Menghavan 4: Alghnas Anúé

Lição 4: Gênero dos Substantivos

Na quarta lição, você aprenderá como determinar o gênero gramatical dos substantivos.

Gênero dos Substantivos

Em gaulês moderno, todos os substantivos possuem um gênero gramatical, que será masculino ou feminino. Se o significado do substantivo indicar o gênero, então o substantivo terá esse gênero:

gwir: homem

ben: mulher

mapath: menino

geneth: menina

map: filho

dúithir: filha

áther: pai

máthir: mãe

moth: pênis

tuthu: vagina

Se o significado do substantivo não indicar o seu gênero gramatical, este será determinado pela última vogal. Se a última vogal for /a/ ou /i/, o substantivo será feminino.

lam: mão > fem.

bis: dedo > fem.

tír: terra, território, região > fem.

cnam: osso > fem.

Se a última vogal for /e/, /o/ ou /u/, o substantivo será masculino.

pen: cabeça > masc.

mór: mar > masc.

cánu: canção > masc.

tráieth: pé > masc.

coch: perna > masc.

curu: cerveja > masc.

O -i nos ditongos -ái-, -éi-, -ói- e -úi não é vogal, mas uma semiconsoante como o /j/ no português Iara ou saia. Não é considerado vogal e a sua presença não torna o substantivo feminino:

brói: país > a última vogal é /o/, o -i é semiconsoante > masc.

mái: lugar, plainície, campina > a última vogal é /a/ > fem.

téi: casa > a última vogal é /e/ > masc.

gwólúith: pressão, tensão, esforço > a última vogal é /u/ > masc.

Alguns substantivos terminam numa consoante dupla em que a última consoante é l, n ou r. Ao ser pronunciados, há um som impreciso entre a penúltima consoante e o l, n ou r. Esse som chama-se schwa e é representado pelo símbolo [ǝ]. Não é considerado vogal nem escrito. Não afeta o gênero do substantivo. O gênero desse substantivo será determinado pela última vogal antes do schwa:

sédhl: assento, sede > a última vogal é /e/ > masc.

sparn: espinho > a última vogal é /a/ > fem

livr: livro > a última vogal é /i/ > fem.

Alguns substantivos terminam em ditongo seguido por uma consoante dupla em que a última consoante é l, n ou r. O gênero gramatical de tais substantivos é determinado pela última vogal antes do -i do ditongo:

anéithl: proteção > a última vogal é /e/ > masc.

lúithr: luta, combate > a última vogal é /u/ > masc.

bóithl: golpe, batida > a última vogal é /o/ > masc.

amáithl: service, trabalho > a última vogal é /a/ > fem.

Substantivos que designem animais são, por padrão, masculinos, ainda que as suas vogais finais sejam /a/ ou /i/:

garan: garça > masc.

cun: cão, cachorro > masc.

lóern: raposa > masc.

ép: cavalo > masc.

caval: cavalo (de carga/tração) > masc.

bó: vaca (designação genérica do gado bovino)

Esses substantivos podem ser convertidos ao feminino pelo acréscimo do sufixo –is:

garanis: garça fêmea

cunis: cadela

lóernis: raposa

épis (também casich): égua

cavalis: égua de carga

Os substantivos que indiquem funções ou atividades humanas são, por padrão, masculinos:

drúidh: um estudioso, erudito, sábio > masc.

gwerchovreth: magistrado > masc.

tiern: chefe, patrão > masc.

dan: agente, gestor, gerente > masc.

Esses substantivos podem ser convertidos ao feminino pelo acréscimo do sufixo –is:

drúidhis: uma acadêmica, erudita

gwerchovrethis: magistrada

tiernis: chefa, patroa

danis: agente, funcionária, uma gerente

Exercício

Determine o gênero gramatical dos seguintes substantivos:

car: carro

sesa: cadeira

roth: roda

aríthis: mesa

dulu: papel

cumlath: prato

cladhal: faca

gaval: garfo

bóthéi: estábulo

bochwídhu: colher

ethn: ave, pássaro

táru: touro

amáiath: servo, criado

cerdhíath: trabalhador, operário

menrodhiath: professor

gnisáiath: estudente

pethlói: coisa, coisas, tralha

pren: árvore

bil: tronco de árvore

clétha: escada de mão

cilurn: balde

scothir: pá

cerdhl: trabalho

tráith: praia

crósu: onda

sir: estrela

nem: céu

brí: colina, morro

brói: país

bélói: cultura

tengu: idioma, língua, linguagem

tarinch: prego

cingeth: guerreiro

delgheth: titular, detentor, possuidor

druthas: coragem

dumnas: escuridão

échal: casco (de animal)

Você pode verificar as suas respostas ao fim desta lição.

 

Menghavan 5: Rithiúnan In Elwachídhu

 

Lição 5: A Formação do Plural

Na quinta lição, você aprenderá como formar o plural dos substantivos.

O Plural dos Substantivos

O plural da maioria dos substantivos é formado pela adição do sufixo plural ao substantivo.

gwir > gwir + -é

mapath > mapath + -é

Por ser uma vogal aberta, esse sufixo leva a sílaba tônica a uma posição mais próxima do fim da palavra. Nos casos em que a terminação do plural não seja separada da sílaba que a precede por mais de uma consoante, a vogal dessa sílaba anterior à terminação tornar-se-á longa, além de receber  ênfase.

gwir > gwíré (homens)

mapath > mapáthé (meninos)

geneth > genéthé (meninas)

map > mápé (filhos)

dúithir > dúithíré (filhas)

Se a terminação do plural for separada da sílaba que a precede por mais de uma consoante, a vogal dessa sílaba será curta.

ethn: ave > ethné: aves

carch: rocha > carché: rochas

Se a palavra terminar em vogal, o final virá imediatamente depois dessa vogal, que receberá a ênfase e tornar-se-á longa.

cánu: canção > canúé: canções

A maioria dos plurais em gaulês moderno é formada desse modo. Há somente duas exceções.

O Plural de “Mulher”

É diferente o plural da palavra para “mulher”.

ben: mulher > mná: mulheres

Essa formação encontra-se atestada em gaulês antigo.

O Plural dos Pares Naturais

O plural de coisas que naturalmente ocorram aos pares é formado pela adição do prefixo -dá, que significa “dois”.

óp: olho > dáóp: (dois) olhos

coch: perna > dáchoch: pernas

lam: mão > dálam: mãos

Com a palavra aus, “orelha”, o prefixo dá- encurta-se para d-.

aus: orelha > daus: orelhas

Quando essas coisas ocorrerem em número superior a dois, o sufixo plural normal será usado.

ópé damathal: [os] olhos de uma aranha (aranhas têm oito olhos)

coché ép: [as] patas de um cavalo (cavalos têm quarto patas)

ópé gwíré: [os] olhos d[os] homens (vários homens juntos têm mais do que dois olhos)

Nos casos em que as coisas mencionadas não sejam de formação natural ou possam não vir em pares, o sufixo plural normal será usado.

lamé gwepór: [as] mãos (isto é, ponteiros) de um relógio (um relógio não é uma criatura natural e pode haver mais de dois ponteiros num relógio como, por exemplo, horas, minutos e segundos)

O Plural de Coletivos

Um grande número de coisas que seja usualmente considerado como um todo é indicado pelo sufixo -lói.

gwep: palavra > gweplói: vocabulário > gweplóié: vocabulários

sir: star > sirlói: constelação > sirlóié: constelações

O Plural depois dos Números

O plural não é usado depois dos números. Os substantivos permanecem no singular.

ép: um cavalo > pethr ép: quatro cavalos

nóith: noite > dech nóith: dez noites

Exercícios

  1. Coloque no plural as seguintes palavras:

car (carro):

sesa (cadeira):

roth (roda):

aríthis (mesa):

dulu (papel):

cumlath (prato):

cladhal (faca):

gaval (garfo):

bóthéi (estábulo):

bochwídhu (colher):

cilurn (balde):

cerdhl (trabalho):

tarinch (unha):

crósu (onda):

brí (colina):

coch (perna/pata):

aus (orelha):

dós (braço):

durn (punho):

  1. Forme os plurais corretos:

pernas de uma mulher:

orelhas de uma menina:

braços de um menino:

olhos de um homem:

patas de um cão:

orelhas de um cavalo:

braços de um rio:

olhos de um caranguejo:

pernas de meninas:

orelhass de homens:

braços de mulheres:

olhos de meninos:

  1. Use os seguintes números para formar frases no plural:

dá: dois

trí: três

pethr: quatro

pimp: cinco

cinco professores:

quarto aves:

três touros:

dois baldes:

Você pode verificar as suas respostas ao fim desta lição.

 

Respostas:

car (carro): cáré

sesa (cadeira): sesáé

roth (rodal): róthé

aríthis (mesa): arithísé

dulu (papel): dulúé

cumlath (prato): cumláthé

cladhal (faca): cladhálé

gaval (garfo): gaválé

bóthéi (estábulo): bóthéié [o /o/ de bó permanece longo por ser etimologicamente determinado]

bochwídhu (colhe): bochwidhúé

cilurn (balde): cilurné

cerdhl (trabalho): cerdhlé

tarinch (unha): tarinché

crósu (onda): crosúé

brí (colina): bríé

coch (perna): cóché

aus (orelha): ausé

dós (braço): dósé

durn (punho): durné

pernas de uma mulher: dáchoch ben

orelhas de uma menina: daus geneth

braços de um menino: dádhós mapath

olhos de um homem: dáóp gwir

patas de cão: cóché cun

orelhas de cavalo: ausé ép

braço de rio: dósé ávon

olhos de caranguejo: ópé carchu

pernas de meninas: cóché genéthé

orelhas de homens: ausé gwíré

braços de mulheres: dósé mná

orelhas de meninos: ópé mapathé

cinco professores: pimp menrodhíath

quarto aves: pethr ethn

três touros: tri táru

dois baldes: dá cilurn

                                                                                                          

Menghavan 6: Anúé Benin Can in hAmosanal – Gwerthanálé Coswaus Anolsam

 

Lesson6: Feminine Nouns With The Article – Initial Consonant Mutations

In the sixth lesson you will learn what happens to feminine nouns after the article.

Feminine Nouns And The Article

When feminine nouns are preceded by the article “in” their initial consonant changes according to regular patterns. This change is what marks the nouns as feminine.

par > in bar (cauldron – the cauldron)

taran > in daran (storm – the storm)

carch > in garch (rock – the rock)

ben > in ven (woman – the woman)

dúithir > in dhúithir (daughter – the daughter)

glan > in ghlan (river bank – the river bank)

máthir > in wáthir (mother – the mother)

sir > in shir (star – the star)

spáthl > in ‘páthl (story – the story)

nath > in nhath (fate – the fate)

rath > in rhath (fern – the fern)

latha > in latha (swamp – the swamp)

fich > in fhich (fig – the fig)

The semi-vowel i- (/y/ in English, [j]) is prefixed with a ch’:

iar > in ch’iar (chicken – the chicken)

Vowels are prefixed with a h-:

aval > in haval (apple – the apple)

épis > in hépis (mare – the mare)

úlidh > in húlidh (feast – the feast)

ídh > in hídh (chain – the chain)

oghran > in hoghran (frost – the frost)

If the nouns are in the plural exactly the same thing happens:

páré > in báré

taráné > in daráné

carché > in garché

mná > in wná

dúithíré > in dhúithíré

gláné > in ghláné

Initial Consonant Mutation Changes

The changes shown above are regular, they happen like that all the time. They are summarised below:

p > b

t > d

c > g

b > v

d > dh

g > gh

m > w

s > sh if followed by a wowel

s > ‘ [nothing] if followed by a consonant

n > nh

r > rh

l > lh

f > fh

i- > ch’i- if followed by a vowel

i- > hi- if followed by a consonant

a > ha

e > he

u > hu

o > ho

Some of these sounds are unusual.

dh = as in English the, there

gh = as in Greek έγώ (I, me), Breton delc’h (to hold). The sound is called “voiced velar

fricative”. Like a Scottish –ch (as in loch) but said with a “thick voice” (i.e. voiced).

sh = as in English ship

h- = as in English house

ch’ = as in Scottish loch

nh = ch- as in Scottish loch, followed by –n > sounds like chn-.

rh = ch- as in Scottish loch, followed by –r > sounds like chr-.

lh = ch- as in Scottish loch, followed by –l > sounds like chl-.

fh = an /f/ produced without the tongue touching the teeth. The sound is called “voiceless bilabial fricative”.

Of these sounds h-, sh-, fh-, nh-, rh- and lh- only ever occur as initial consonant mutations.

Exercises

Put the article in front of the following words and change the consonants if necessary.

pan (glas, cup) >

penálé (chapters) >

tal (front) >

támé (classes) >

cái (hedge) >

calghé (points) >

bach > burden

baláné (brooms) >

daghl (torch) >

dáré (rages) >

gaval (fork) >

gnáthé (children) >

fich (fig) >

fíché >

mái (place) >

máné (necks) >

sachrap (evil eye) >

sálé (sheds) >

scáth (shadow) >

spríé (twigs) >

ial (clearing) >

iatháné (loans) >

nan (hunger) >

nascálé (rings) >

ran (part) >

ratháné (guarantees) >

lam (hand) >

láné (fields) >

áchn (milk) >

avanché (water spirits) >

ili (ivy) >

íthwéráné (distributions) >

ódhan (smell) >

olchraváné (descriptions) >

uchan (rise) >

uláé (powders) >

échal (hoof) >

echwichnáé (losses) >

You check your answers below.

Answers

pan (glas, cup) > in ban

penálé (chapters) > in benálé

tal (front) > in dal

támé (classes) > in dámé

cái (hedge) > in gái

calghé (points) > in galghé

bach (burden) > in vach

baláné (brooms) > in valáné

daghl (torch) > in dhaghl

dáré (rages) > in dháré

gaval (fork) > in ghaval

gnáthé (children) > in ghnáthé

fich (fig) > in fhich

fíché > in fhíché

mái (place) > in wái

máné (necks) > in wáné

sachrap (evil eye) > in shachrap

sálé (sheds) > in shálé

scáth (shadow) > in ‘cáth

spríé (twigs) > in ‘príé

ial (clearing) > in ch’ial

iatháné (loans) > in ch’iatháné

nan (hunger) > in nhan

nascálé (rings) > in nhascálé

ran (part) > in rhan

ratháné (guarantees) > in rhatháné

lam (hand) > in lham

láné (fields) > in lháné

áchn (milk) > in háchn

avanché (water spirits) > in havanché

ili (ivy) > in hili

íthwéráné (distributions) > in híthweráné

ódhan (smell) > in hódhan

olchraváné (descriptions) > in holchraváné

uchan (rise) > in huchan

uláé (powders) > in huláé

échal (hoof) > in héchal

echwichnáé (losses) > in hechwichnáé

Menghavan 7: Achathéné

                                                                                                                

Lição 7: Os Adjetivos – O Verbo “Ser”

Na sétima lição, você aprenderá sobre os adjetivos e sobre como usar o verbo “ser” (também “estar, ficar, existir”).

 

Os Adjetivos

Um adjetivo é uma palavra que descreve uma qualidade ou uma característica de um substantivo.

sen: velho

ióinch: jovem

sír: longo, comprido

bir: curto

már: grande

méi: pequeno

ardhu: alto

íth: baixo

duv: preto

gwin: branco

galv: gordo

dái: bom

druch: mau, ruim

Há diferentes tipos de adjetivos. Aqueles listados acima são “adjetivos naturais”. Os adjetivos também podem ser formados a partir de outras palavras por meio do uso de sufixos e prefixos.

O sufixo -ach

O sufico -ach pode ser usado para formar um adjetivo a partir de outra palavra, comumente um substantivo.

caran: amigo > caranach: amigável, amistoso, simpático, gentil

carath: amor > caráthach: amáve, adorável

nerth: força > nerthach: forte

caun: coruja > caunach: pessoa de aparência séria, inteligente (“semelhante a uma coruja”) ou que possui olhos grandes

barn: julgamento > barnach: critico, opiniático

achaun: pedra > achaunach: pedregoso

O sufixo –ch

O sufico -ch é semelhante ao sufixo -ach. É usado para palavras que terminem em -i ou em -u, nas quais o -ach seria pouco prático.

grau: areia > grauch: arenoso

téi: casa > téich: doméstico

The suffix -ídhu

O sufico -ídhu é usado para palavras que terminam em -ch, a fim de evitar a duplicação do som -ch-.

boch: boca > bochídhu: tagarela, falador

coch: perna > cochidhu: pernudo, comprido

carch: rocha > carchídhu: rochoso

bruch: urze > bruchídhu: pertencente a/abundante em/semelhante à urze

O sufixo -in

O sufixo -in somente é usado para descreve qualidades de seres vivos, pessoas, animais etc.

bledh: lobo  > bledhin:  lupino

gwir: homen > gwirin: masculino

ben: mulher > benin: feminino

ép: cavalo > épin: equino

cun: cão > cunin: canino

ernu: águia > ernúin: aquilino

Os prefixos su- e du-

Os prefixos su- (good) e du- (mau) podem ser acrescentados aos substantivos para criar adjetivos.

áiedh: face > su+áiedh = bonito/a, de boa aparência

> du+ áiedh = feio/a

Se a ênfase nessas construções não estiver na vogal /u/ dos prefixos, estes mudarão para sw- e dw.

> swáiedh: de bom aspecto, bonito

> dwáiedh: feio

Posição do adjetivo

O adjetivo sempre vem depois do substantivo sobre o qual diga alguma coisa.

gwir: homem > gwir caranach: um homem simpático

mapath: menino > mapath méi: um menino pequeno

cun: cachorro > cun duv: um cachorro preto

ép: cavalo > ép gwin: um cavalo branco

Mutação do adjetivo

Se um adjetivo disser algo sobre um substantive feminino, sofrerá a mutação da sua consoante inicial. É desse modo que se indica o gênero.

ben: mulher

tech: bela

> ben dech: uma mulher bela

épis: uma égua

áchu: rápido

> épis háchu: uma égua rápida

geneth: menina

gwimp: bonita

> geneth chwimp: menina bonita

O adjetivo não muda no plural.

in ghenéthé chwimp: as meninas bonitas

in wná dech: as mulheres belas

in gwíré galv: os homens gordos

O verbo “ser”

O verbo “ser” é o único verbo irregular em gaulês moderno.

A raiz verbal (ou infinitivo) é “bis”.

> gwéla mi bis láen = Quero ser feliz

A forma do presente é “esi”. Esta não recebe a terminação -a.

> Esi mi láen = Sou feliz.

Exercícios

Construa as frases que se seguem. Você pode conferir as suas respostas ao final da lição.

O cavalo é grande >

O cachorro é gordo >

A mulher é jovem >

O homem é velho >

A menina é pequena >

A pedra é baixa >

A casa é comprida >

O julgamento está ruim >

A coruja está baixa >

A areia é branca >

A égua é gentil >

A boca é grande >

O homem lupino >

A mulher equina >

A menina jovem >

O menino gordo >

A águia alta >

A pedra baixa >

A pedra preta >

A urze branca >

A boca feia >

A perna comprida >

O cavalo forte >

O amor ruim >

As meninas jovens veem os cavalos brancos >

Os homens velhos chamam os cachorros gordos >

As mulheres gentis querem os meninos pequenos >

Os cachorros grandes amam as pedras pretas >

As meninas pequenas seguram os cachorros com olhos de coruja[1] >

Os meninos maus quebram as pedras compridas >

Respostas

O cavalo é grande > esi in ép már

O cachorro é gordo > esi in cun galv

A mulher é jovem > esi in ven ch’ióinch

O homem é velho > esi in gwir sen

A menina é pequena > esi in gheneth wéi

A pedra é baixa > esi in achaun bir

A casa é comprida > esi in téi sír

O julgamento está ruim > esi in varn dhruch

A coruja está baixa > esi in caun íth

A areia é branca > esi in grau gwin

A égua é gentil > esi in hépis garanach

A boca é grande > esi in boch már

O homem lupino > in gwir bledhin

A mulher equina > in ven hépin

A menina jovem > in gheneth ch’ióinch

O menino gordo > in mapath galv

A águia alta > in ernu ardhu

A pedra baixa > in achaun íth

A pedra preta > in garch dhuv

A urze branca > in bruch gwin

A boca feia > in boch dwáiedh

A pedra comprida > in coch sír

O cavalo forte > in ép nerthach

O amor uim > in garath druch

As meninas jovens veem os cavalos brancos > apísa in ghenéthé ch’ióinch in épé gwin

Os homens velhos chamam os cachorros gordos > gára in gwíré sen in cúné galv

As mulheres gentis querem os meninos pequenos > gwéla in wná garanach in mapáthé méi

Os cachorros grandes amam as pedras pretas > cára in cúné már in garché dhuv

As meninas pequenas seguram os cachorros com olhos de coruja > delgha in ghenéthé wéi in cúné caunin

Os meninos maus quebram as pedras compridas > brísa in mapáthe druch in achauné sir

[1] Isto é, “cachorros que têm olhos grandes como os de uma coruja, semelhantes aos de uma coruja”.

Menghavan 8: Rivrethré

                                                                                                                

Lição 8: Advérbios

Na oitava lição, você aprenderá sobre os advérbios.

Advérbios

Advérbio é uma palavra que descreve uma qualidade ou característica de uma ação verbal.

Exemplos em português são: rapidamente, silenciosamente, naturalmente, normalmente. Em português, é comum que sejam formados com o sufixo -mente.

Em gaulês moderno, os advérbios são formados colocando-se a particular “in” antes do adjetivo. O adjetivo sofre a mutação da sua consoante inicial.

áchu:  rápido

in háchu: rapidamente

áva mi chí: eu faço isso (ou apenas “faço-o”)

> áva mi chí in háchu: eu faço isso rapidamente

tau: silencioso, quieto

in dau: silenciosamente

spá í chí: ela diz isso

> spá í chí in dau: ela diz isso silenciosamente

aram: calmo

in haram: calmamente

réna in avon: o rio flui

> réna in avon in haram: o rio flui calmamente

amvíthach: natural

in hamvíthach: naturalmente

gwóra cráré mel: abelhas produzem mel

> gwóra cráré mel in hamvíthach: abelhas produzem mel naturalmente

suves: normal

in shuves: normalmente

né chwergha í co shé: ela não age desse jeito

> né chwergha í co shé in shuves: ela não age desse jeito normalmente

Posição do advérbio

O advérbio (Adv.) sempre fica tão próximo do verbo (V.) quanto possível, depois do sujeito (S.) e do objeto (O.) da frase.

Gwóra cráré mel in hamvíthach. Produzem abelhas mel naturalmente.
V. S. O. Adv. V. S. O. Adv.

Exercícios

Construa a forma adverbial dos seguintes adjetivos. Você pode verificar as suas respostas ao fim da lição.

cóil (estreito) >

lithan (amplo, largo) >

dianauch (pobre) >

téithwár (saudável) >

ardhu (alto) >

íth (baixo, humilde) >

réiach (direto) >

róthach (redondo) >

dái (bom) >

druch (mau, ruim) >

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Respostas

cóil > in góil (estreitamente)

lithan > in lhithan (amplamente)

dianauch > in dhianauch (pobremente)

téithwár > in déithwár (saudavelmente)

ardhu > in hardhu (altamente)

íth > in híth (humildemente)

réiach > in rhéiach (diretamente)

róthach > in rhothach (redondamente)

dái > in dhái (bem)

druch > in dhruch (mal, nocivamente)

                                                                                                          

Menghavan 9: Gwepráié

                                                                                                                

Lição 9: Preposições

Na nona lição, você aprenderá sobre as preposições. Uma preposição é uma palavra que fornece informação sobre a localização, situação ou posição de alguma coisa.

Preposições

Em gaulês moderno, todas as preposições causam a mutação da consoante inicial (MCI) da palavra que as segue.

esi: é/está

ép: cavalo

anel: sob/embaixo/debaixo de

pren: árvore

> esi ép anel bren: há um cavalo sob a árvore (literalmente, “um cavalo está sob a árvore”)

sédhi: senta(-se)

gwir: homem

ur: contra/de encontro

carch: pedra

> sédha gwir ur garch: um homem senta-se de encontro a uma pedra.

esi: é/está

gwolth: cabelo

en: em

iuth: sopa

> esi gwolth en ch’iuth: há um cabelo na sopa

esi: é/está/sou

mi: eu

e: de (proveniência)/desde

tóth: povo/pessoas/gente

ríu: livre

> esi mi e dóth ríu: sou de um povo livre

áia: vai

í: ela

a: para

tráith: praia

> áia í a dráith: ela vai para a praia

As preposições não causam mutações no artigo “in” ou nos pronomes possessivos.

> esi ép gwó in pren

> esi gwolth en mó ch’iuth: há um cabelo na minha sopa.

Com os pronomes pessoais

As preposições fundem-se com os pronomes pessoais:

can: com

mi: eu

> canim: comigo

gwer: em/sobre

ti: tu/você

> gwerith: sobre você

nes: perto

ni: nós

> nesin: perto de nós

Padrões

As preposições fundem-se com os pronomes pessoais conforme padrões regulares. Há quatro categorias diferentes para esses padrões.

  1. Preposições que terminam em consoantes

São:

can – com, por meio de, por intermédio de

ar – antes, perante, diante de

ern – atrás, atrás de, detrás

ur – contra, de encontro

cin – antes

ós – após, depois, em seguida

gwer – em, sobre

en – en, dentro de

tar – através, por meio de

am – sobre, acerca de, a respeito de

ér – em torno de, ao redor de

échan – sem, fora de

enther – entre

uchel – sobre, acima, para cima

anel – sob, abaixo, debaixo, para baixo

Essas preposições recebem as seguintes terminações:

-im, -ith, -é, -í, -in, -sú, -ís

canim: comigo

canith: com você/contigo

cané: com ele/consigo

caní: com ela/consigo

canin: conosco

cansú: com você/convosco

canís: com eles, elas/consigo

A ênfase nessas formas cai na última sílaba:

can’im: comigo

  1. Preposições que terminam em vogais

São:

ri – por, para, a fim de que

di – fora

tré – através, para lá de

co – que, do que, tão/tanto… quanto (co… co)

éithra – além, além de, mais longe

anó – em, dentro de, para dentro

echo – fora, afora, do lado de fora

Essas preposições recebem as seguintes terminações:

-em, -eth, -ché, -chí, -en, -sú, -chís

riem: para mim

rieth: pata ti/para você

riché: para ele

richí: para ela

rien: para nós

risú: para vós/ para vocês

richís: para eles/elas

A preposição “tré” recebe formas especiais dessas terminações. Acrescenta-se um -i- diante da 1ª., 2ª. e 5ª. formas: -iem, -ieth, -ché, -chí, -ien, -sú, -chís.

tréiem: através de mim

tréieth: através de ti/você

tréché: através dele

tréchí: através dela

tréien: através de nós

trésú: através os/vocês

tréchís: através deles/delas

  1. Composições formadas por uma só vogal

São:

a – para, a

e – de (proveniência), desde, a partir de

u – de (indica quantidade)

i – de (indica propriedade)

Essas preposições recebem as seguintes terminações:

-im, -ith, -é, -í, -in, -ú, -ís

Também muda a forma radical da preposição:

a > adh-

e > ech-

u > uch-

i > ich-

adhim: para mim

adhith: para ti/você

adhé: para ele

adhí: para ela

adhin: para nós

adhú: para vós/vocês

adhís: para eles/elas

  1. Preposições que terminam em -u

São:

au – longe de (indica distanciamento de um ponto)

didhíu – fora, afora, do lado de fora

Essas preposições não se fundem com os pronomes pessoais. Os pronomes pessoais seguem-nas sem modificação. Usam-se os pronomes objetos.

au mi: longe de mim

au ti: longe de ti/você

au ché: longe dele

au chí: longe dela

au ni: longe de nós

au sú: longe de vós/vocês

au chís: longe deles/delas

Exercícios

can, ar, ern, ur, cin, ós, gwer, en, tar, am, ér, échan, uchel, anel, enther; ri, di, tré, co, éithra, anó, echó; a, e, u, i; au, didhíu, nes

Você vai comigo:

Estou em pé diante de você:

O sol está atrás dele:

O vento está contra ela:

Isto acontece antes daquilo:

Isto acontece antes daquilo:

A chuva cai sobre nós:

O poder está em vocês:

A música vai através deles:

As pessoas falam sobre mim:

As montanhas estão ao teu redor:

A garota vai sem ele:

O céu está acima de nós:

A terra está embaixo de vós:

O deserto está entre eles:

O trabalho é para mim:

O suór cai de você:

Passa[1] através dele:

Ela é tão grande quanto ela:

Está além de nós:

O problema está dentro de vocês:

A resposta está fora deles:

Ela caminha para mim:

Vem[2] de ti:

Cinco litros disso:

A cerveja é dele:

Fogem dela:

O dus[3] está fora de nós:

O monstro está perto deles:

Você pode verificar as suas respostas ao fim desta lição.

Respostas

Você vai comigo: áia ti canim

Estou em pé diante de você: sáia mi arith

O sol está atrás dele: esi in súel erné

O vento está contra ela: esi in áel urí

Isto acontece antes daquilo: gwéra sin ciní

Isto acontece antes daquilo: gwéra sin ósí

A chuva cai sobre nós: cóima in hamr gwerin

O poder está em vocês: esi in gus ensú

A música vai através deles: áia in ganthl tarís

As pessoas falam sobre mim: lavára in dóné amim

As montanhas estão ao teu redor: esi in vríé érith

A garota vai sem ele: áia in gheneth echané

O céu está acima de nós: esi in nem uchelin

A terra está embaixo de vós: esi in lithau anelsú

O deserto está entre eles: esi in dithrev entherís

O trabalho é para mim: esi in cerdhl riem

O suór cai de você: cóima in shwís dieth

Passa através dele: gwéra í tréché

Ela é tão grande quanto ela: esi í co wár cochí

Está além de nós: esi í éithraen

O problema está dentro de vocês: esi in dhuchuthas anósú

A resposta está fora deles: esi in hathespath echóchís

Ela caminha para mim: cáma í adhim

Vem de ti: diáia í echith

Cinco litros disso: pimp lithr uchí

A cerveja é dele: esi in curu iché

Fogem dela: rétha sí au chí

O dus está fora de nós: esi in dus dhidhíu ni

O monstro está perto deles: esi in havanch nesú

[1] Forma verbal da 3ª. pessoa do presente do indicativo.

[2] Forma verbal da 3ª. pessoa do presente do indicativo.

[3] Dus, espírito da natureza comparável aos sátiros e faunos da mitologia clássica, do gaulês antigo dusios.

Menghavan 10: Gweranúé Téithach – Adhavachúé – Nithachúé

 

Lição 10: Pronomes Possessivos – Demonstrativos – Locativos

Na decima lição, você aprenderá o que são pronomes possessivos e demonstrativos e como funcionam.

  1. Pronomes possessivos

Um pronome possessivo é uma palavra que indica a posse de uma coisa. Nas Lições 2 e 3, aprendemos duas formas de indicar a posse: usando a partícula indicadora de posse i- e colocando duas coisas próximas uma da outra, com ou sem o artigo entre elas. Usar um pronome possessivo é a terceira forma de indicar a posse.

Uma pronome possessivo é uma palavra que vem antes de outra palavra e que indica a posse da segunda palavra: meu, teu, seu etc.

cun: cão

mó: meu

> mó gun: meu cão

O pronome possessivo causa mutação na palavra seguinte na maioria das vezes, porém não na 3ª. pessoa do singular do feminino e nem na segunda pessoa do plural.

  1. mó: meu
  2. tó: teu
  3. ó: seu (dele)
  4. ó: seu (dela)
  5. nó: nosso
  6. só: vosso, seu (de vocês)
  7. só: seu (deles/delas)

Uma vez que o terceiro, o quarto, o sexto e o sétimo são os mesmos, diferenciam-se pela mutação: o terceiro e o sexto causam mutação, o quarto e o sétimo, não.

mó (meu): causa mutação

tó (teu): causa mutação

ó (dele): causa mutação

ó (dela): não causa mutação

nó (nosso): causa mutação

só (de vocês): não causa mutação

só (eles/delas): causa mutação

gun: meu cachorro

gun: teu cachorro

ó gun: cachorro dele

ó cun: cachorro dela

gun: nosso cachorro

cun: cachorro de vocês

gun: cachorro deles/delas

Lembre-se que a posse também pode ser expressa com a partícula i-. Nesse caso, usam-se os pronomes objetos, que vêm depois da coisa possuída.

cun imí: um cachorro meu (“de mim”)

cun ithí: um cachorro teu

cun iché: um cachorro dele

cun ichí: um cachorro dela

cun iní: um cachorro nosso

cun isú: um cachorro de vocês

cun ichís: um cachorro deles/delas

Excercício 1

Usando as palavras abaixo, traduza as frases que se seguem. Você pode encontrar as respostas ao fim da lição.

épis: égua

bó: vaca

táru: touro

molth: carneiro

gavr: bode

camoch: bode montês

élan: corça

úru: aurochs

cáru: auroque

avanch: monstro aquatic (criatura mitológica)

bevr: castor

mórchun: golfinho

anchrái: salmão

garan: garça

caru: gamo, cervo, veado

Minha égua:

Tua vaca:

Touro dele:

Carneiro dela:

Nosso bode:

Bode montês de vocês:

Corça deles:

Meu auroque:

Teu gamo:

Monstro aquático dele:

Castor dela:

Nosso golfinho:

Salmão de vocês:

Garça deles:

  1. Demonstrativos

Um demonstrativo é uma palavra que indica outra palavra: este, aquele, estes, aqueles etc.

Em gaulês moderno, o demonstrativo tem duas partes.

  1. o artigo “in” antes da palavra.
  2. as palavras -sin ou -sé ligadas por hífen ao fim da palavra.

cun: cão

> in cun-sin: este cão

> in cun-sé: aquele cão

Se a palavra for feminina, o artigo causará mutação.

cunis: bitch

> in gunis-sin: this bitch

> in gunis-sé: that bitch

Se a palavra for plural, o artigo e o demonstrativo permanecerão os mesmos.

in cúné-sin: estes cães

in gunísé-sé: aquelas cadelas

Exercício 2

Traduza as seguintes frases. Você pode encontrar as respostas ao fim da lição.

Esta égua:

Aquela vaca:

Estes touros:

Aqueles carneiros:

Este bode:

Aquele bode montês:

Estas corças:

Aqueles auroques:

Este gamo:

Aquele monstro marinho:

Estes castores:

Aqueles golfinhos:

Este salmão:

Aquela garça:

  1. Locativos

Locativos são palavras que indicam uma posição: aqui, lá.

Há dois locativos em gaulês moderno.

insin: aqui

insé: lá

Esi in cun insin: o cão está aqui.

Esi in gunis insé: a cadela está lá.

Esi in cun-sin insin: este cão está aqui.

Esi in gunis-sé insé: aquela cadela está lá.

Exercício 3

Traduza as seguintes frases. Você pode encontrar as respostas ao fim da lição.

A égua está aqui:

As vacas estão lá:

Este touro está aqui:

Aquele carneiro está lá:

Estes bodes estão aqui:

Aqueles bodes monteses estão lá:

A corça está aqui:

Os auroques estão lá:

Este gamo está aqui:

Aquele mostro aquático está lá:

Estes castores estão aqui:

Aqueles golfinhos estão lá:

Este salmão está aqui:

Aquela garça está lá:

 

 

 

Respostas

Exercício 1

Minha égua: mó hépis

Tua vaca: tó vó

Touro dele: ó dáru

Carneiro dela: ó molth

Nosso bode: nó ghavr

Bode montês de vocês: só camoch

Corça deles: só hélan

Meu auroque: mó húru

Teu gamo: tó gáru

Monstro aquático dele: ó havanch

Castor dela: ó bevr

Nosso golfinho: nó wórchun

Salmão de vocês: só anchrái

Garça deles: só gharan

Exercício 2

Esta égua: in hépis-sin

Aquela vaca: in bó-sé

Estes touros: in tarúé-sin

Aqueles carneiros: in molthé-sé

Este bode: in ghavr-sin

Aquele bode montês: in camoch-sé

Estas corças: in heláné-sin

Aqueles auroques: in hurúé-sé

Este gamos: in cáru-sin

Aquele monstro aquático: in havanch-sé

Estes castores: in bevré-sin

Aqueles gofinhos: in morchúné-sé

Este salmão: in hanchrái-sin

Aquela garça: in gharan-sé

Exercício 3

A égua está aqui: esi in hépis insin

As vacas estão lá: esi in bóé insé

Este touro está aqui: esi in táru-sin insin

Aquele carneiro está lá: esi in molth-sé insé

Estes bodes estão aqui: esi in ghavré-sin insin

Aqueles bodes monteses estão lá: esi in camóché-sé insé

A corça está aqui: esi in hélan insin

Os auroques estão lá: esi in urúé insé

Este gamo está aqui: esi in cáru-sin insin

Aquele mostro aquático está lá: esi in havanch-sé insé

Estes castores estão aqui: esi in bevré-sin insin

Aqueles golfinhos estão lá: esi in morchúné insé

Este salmão está aqui: esi in hanchrái-sin insin

Aquela garça está lá: esi in gharan-sé insé

 

 

 

 

 

                                                                                                          

Menghavan 11: Colaváru – Mésu Péthach – Inchoran Chwoghníthach

 

Lição 11: Conversação – Forma Interrogativa – Orações Subordinadas

 

Bello nappies politicians joke

 

 

Ré ví certh ri dhrapghnathalé ach dhunachíathé in dá bis cóchwerthú aman wár guerlerch conu samal.

 Fraldas e políticos deveriam ambos ser trocados frequentemente pelo mesmo motivo.

 

 

Na décima primeira lição, você aprenderá a formar uma pergunta e a construir sentenças dentro de sentenças.

 

  1. Conversação

Lesson 11 Portuguese picture BelloAbaixo está um diálogo entre duas pessoas. Bren é um homem e Chiomára, uma mulher. Ambos são nomes gauleses tradicionais. Bren foi o líder do ataque a Delfos em 279 a. C., Chiomára foi uma mulher da Galácia. Esse diálogo mostra como as frases interrogativas são formadas:

 

Bren: Di wath. Pé gaman a hesi ti?

(Bren: Bom dia. Como vai você?)

 

Chiomára: Esi mi in rhé dhái, bráthu. Ach ti-súé?

(Chiomara: Estou muito bem, obrigada. E você?)

 

Bren: Esi mi in dhái cóéth, bráthu. A ghnía ti o ti-esi pen ré dech?

(Bren: Também estou bem, obrigado. Sabia que você tem uma linda cabeça?)

 

Chiomára: Gnía mi … pé a chwéla ti?

(Chiomara: Sei… o que você quer?)

 

Bren: A ghála mi bé ichí a brenuchi ichí gwer mó shédhl’ép?

(Bren: Posso cortá-la para pendurá-la na minha sela?)

 

Chiomára: Conechughri!

(Chiomára: Cai fora!)

 

Vocabulário:

 

pé: quê?/qual? (Causa MCI na palavra seguinte)

caman: estrada, modo

> pé gaman: como?

 

dí: dia

math: bom/boa

> dí wath: bom dia (MCI porque “dí” é uma palavra feminina)

 

dái: bom/boa

ré: muito (causa MCI na palavra seguinte)

in: marcador adverbial (causa MCI na palavra seguinte)

> in rhé dhái: muito bem

 

bráthu: obrigado/obrigada

 

ti: você

súé: mesmo/mesma (self em inglês)

> ti-súé: você mesmo/mesma

 

ach: e

 

cóéth: também, idem, bem como

 

gní: saber, conhecer

gnía ti: você sabe

a: partícula interrogativa (causa MCI na palavra seguinte)

> a ghnía ti: você sabe?

 

o: pronome relativo para orações subordinadas > “que, o qual”; veja abaixo

ti-esi: você tem > veja abaixo

 

pen: cabeça

tech: belo/bela

> pen ré dech: uma cabeça muito bela

 

gwéla ti: você quer

pé a chwéla ti: o que você quer?

 

gála mi: eu posso

a ghála mi: eu posso?

bé: cortar, golpear, talhar

 

prenuchi: pendurar, dependurar

 

gwer: em, em cima, sobre

 

sédhl: assento

ép: cavalo

> sédhl’ép: sela (“assento de cavalo”)

 

conechughri: cair fora (expressão idiomática)

 

  1. Formação da Frase Interrogativa

 

Como você pôde ver acima, a interrogações são feitas colocando-se a partícula “a” antes do verbo na frase.

 

gnía ti: você sabe > afirmação

a ghnía ti?: você sabe? > interrogação

 

A ordem das palavras não muda. A única diferença é a partícula interrogativa “a”. Ela causa a mutação consonantal inicial (MCI) da palavra seguinte.

 

gála mi: eu posso > afirmação

a ghála mi?: eu posso? > interrogação

 

Palavras interrogativas

 

pé: o quê?, qual?

pé gaman: como?

pí: quem?

péri: porquê?

pémái: onde?

ponch: quando?

 

  1. O verbo “ter/haver”

 

O gaulês moderno não possui um verbo específico para “ter/haver”. No lugar dele, emprega uma formação composta que usa o verbo “ser/estar”. Compõe-se do pronome pessoal do ente que “tem” alguma coisa, seguido pelo verbo “ser/estar”. Os dois ligam-se com um hífen.

 

mi-esi ép: tenho um cavalo

 

> mi-esi traduz-se como “comigo, para mim” > mi-esi ép = para-mim há um cavalo

 

A conjugação é assim:

 

mi-esi: eu tenho

ti-esi: tu tens/você tem

é-esi: ele tem

í-esi: ela tem

ni-esi: nós temos

sú-esi: vós tendes/vocês têm

sí-esi: eles/elas têm

 

Se o sujeito da frase for especificado, ele virá antes, sendo seguidos pela construção pronome + ser/estar, unidos por um hífen.

 

in gwir: o homem

é-esi: ele tem

cun: um cão

> in gwir é-esi cun: o homem tem um cão.

 

in dóné: as pessoas

sí-esi: eles/elas têm

gavré: bodes

> in dóné sí-esi gavré: as pessoas têm bodes

 

Numa frase interrogative, a partícula “a” virá antes da construção pronome + ser/estar. Essa partícula causa a MCI da primeira palavra da construção.

 

pé a di-esi: o que você tem?

péri a shú-esi épé: por que vocês têm cavalos?

 

Numa frase interrogativa em que o sujeito seja especificado, a partícula interrogativa virá entre o sujeito e a construção pronome + ser/estar.

 

péri in gwir a hé-esi cun: por que o homem tem um cão?

péri in dóné a shí-esi gavré: porque as pessoas têm bodes?

 

Excercício 1

 

Construa as frases seguintes. Você encontrará as respostas ao fim da lição.

 

Qual é o teu nome?

Onde você vive?

Como está você?

Quem é o seu amigo?

Por que você está aqui?

Quando é o teu aniversário?

 

Tenho nome:

Tens um cão:

Ele tem um cavalo:

Ela tem uma vaca:

Temos cerveja:

Vocês têm vinho:

Eles nada têm:

 

O cavalo tem orelhas compridas:

O homem tem um nariz gordo:

As crianças têm pés sujos:

 

Por que você tem uma cabeça grande?

Por que eles têm mãos pequenas?

Por que as mulheres têm cabelo comprido?

Por que as vacas têm chifres curtos?

 

Vocabulário

 

anu: nome

bithi: viver, morar

esi: ser, estar, haver

caran: amigo/a

insin: aqui

pen’vlédhn: aniversário (pen + blédhn “cabeça-ano”)

cun: cão

ép: cavalo

bó: vaca

curu: cerveja

gwín: vinho

néveth: nada

pen: cabeça

már: grande

sír: comprido, longo

trughn: nariz

galv: gordo/a

traiéthé: pés (de mais de uma pessoa)

luthrach: sujo/a

lámé: hands (de mais de uma pessoa)

méi: pequeno/a

gwolth: cabelo

carnu: chifre

bir: curto/a

 

  1. Orações subordinadas

 

Uma oração subordinada é uma sentença dentro de outra sentença. Possui verbo, sujeito e objeto que são independentes da sentença principal. As duas são ligadas pela partícula “o”, que se traduz em português como “que” ou “o/a qual”.

 

gnía ti: você sabe

o: que

ti-esi: você tem

pen: uma cabeça

tech: bonito/a

> gnía ti o ti-esi pen tech: você sabe que tem uma cabeça bonita.

 

apísa mi: eu vejo

o: que

né hesi: não há

curu: cerveja

éth: mais

> apísa mi o né hesi curu éth: vejo que não há mais cereja.

 

Na oração subordinada, a segunda sentença (“não há mais cerveja”) pode ficar isolada, independente da primeira (“vejo”). As duas são conectadas pela partícula “o”.

 

Se a partícula “o” for seguida por uma palavra que comece com vogal, tornar-se-á “och”.

 

gwídha mi: eu entendo

o: que

esi ti: você está

lisc: cansado/a

> gwídha mi och esi ti lisc: entendo que você está cansado.

 

Excercício 2

 

Construa as frases abaixo. Você pode encontrar as respostas ao fim da lição.

 

Você merece que eu lhe bata:

O homem vê que o cavalo está bêbado:

As crianças ouvem que os cachorros uivam:

As mulheres sabem que o cabelo delas é comprido:

Os bodes esperam que tenham chifres:

Ele pensa que é inteligente:

Ela sabe que ele é estúpido:

As pessoas não sabem que têm narizes gordos:

 

Vocabulário

 

gwescára: merecer

bói: atingir, bater em alguém

mesc: bêbado

clúi: ouvir

duchan: uivar

gwómen: ter esperança (esperar)

men: pensar

suchwís: esperto

duchwís: tolo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Respostas 1

 

Qual é o teu nome?: Pé a hesi tó hanu?

Onde você mora?: Pémái a vítha ti?

Como vai você?: Pé gaman a hesi ti?

Quem é o teu amigo?: Pí a hesi tó garan?

Por que estás aqui?: Péri a hesi ti insin?

 

Quando é o teu aniversário?: Ponch a hesi tó ben’vlédhn?

Tenho nome: mi-esi anu.

Você tem um cachorro: ti-esi cun.

Ele tem um cavalo: é-esi ép.

Ela tem uma vaca: í-esi bó

Temos cerveja: ni-esi curu.

Vocês têm vinho: sú-esi gwín.

Eles não têm nada: sí-esi néveth.

 

O cavalo tem orelhas compridas: in ép é-esi daus sír.

O homem tem um nariz gordo: in gwir é-esi trughn galv.

As crianças têm pés sujos: in gnáthé sí-esi tráiéthé luthrach.

 

Por que você tem uma cabeça grande?: Péri a di-esi pen már?

Por que eles têm mãos pequenas?: péri a shí-esi lámé wéi?

Por que as mulheres têm cabelo comprido?: Péri in wná a shí-esi gwolth sír?

Por que as vacas tem chifres curtos?: Péri in bóé a shí-esi carnúé bir?

 

Respostas 2

 

Você merece que eu lhe bata: gwescára ti o bóia mi ti.

O homem vê que o cavalo está bêbado: apísa in gwir och esi in ép mesc.

As crianças ouvem que os cachorros uivam: clúia in gnáthé o duchána in cúné.

As mulheres sabem que o cabelo delas é comprido: gnía in wná och esi só chwolth sír.

Os bodes esperam que tenham chifres: gwóména in gavré o sí-esi carnúé.

Ele pensa que é inteligente: ména é och esi é suchwís.

Ela sabe que ele é estúpido: gnía í och esi é duchwís.

As pessoas não sabem que têm narizes gordos: né ghnía in dóné o sí-esi trughné galv.

 

Advertisements